OUÇA WEB RADIO ATIVA FM

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO
E-MAIL 2: nicolas99878303@gmail.com

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Sem policiamento e com onda de assaltos, prefeito faz apelo no Sul do Estado


 Imprimir
O município de Redenção do Gurgueia ( a 691 km de Teresina) vive um clima de insegurança que preocupa as autoridades da cidade. O prefeito  Ângelo José Sena Santos, o Dr. Macaxeira e os vereadores estão fazendo um apelo para que a Secretaria de Segurança Pública e o comando da Polícia Militar reforcem o policiamento no município antes que aconteça uma tragédia. A cidade conta, na maioria das vezes, com um policial para atender a população de oito mil habitantes.
Há um mês, a Polícia Militar mudou a jurisdição de Redenção do Gurgueia, que era ligado a cidade de Bom Jesus e passou a ser de Curimatá, que fica a 84km de distância. 
Segundo o vereador de Redenção, Everaldo Carvalho, a mudança de jurisdição só piorou a situação. 
"Estivemos no comando de Curimatá e o capitão que nos recebeu informou que o contingente é de apenas seis policiais militares para atender Redenção, Curimatá, Riacho Frio e Parnaguá. No papel teria 30 policiais, mas efetivamente somente seis, o que é humanamente impossível dar segurança para os municípios", disse.
Pediram apoio do juiz de Bom Jesus
O prefeito Dr. Macaxeira e os vereadores de Redenção estiveram no Fórum de Bom Jesus na manhã desta quarta-feira (11) para pedi apoio do juiz para ajudar no combate a criminalidade no município. Segundo  os vereadores e o prefeito o número de policiais é insuficiente para a demanda da cidade. 
"Faço um apelo as autoridades para que nos ajude. Aumentou o roubo de motos, invasões e arrombamentos as residências o que nos deixa bastante preocupado. A mudança do Quartel só aumentou a violência na cidade. Queremos uma providência", disse o prefeito.
A vereadora  Nildinha lembrou também que a transferência do Fórum de Redenção para Bom Jesus contribuiu para aumentar a violência.
"Quando tínhamos a presença do juiz e da promotora na cidade, isso inibia a atuação dos grupos criminosos. Agora só temos um policial e estamos cobrando uma providência das autoridades de segurança do estado", disse a vereadora. 

Da Redação
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário