OUÇA WEB RADIO ATIVA FM

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO
E-MAIL 2: nicolas99878303@gmail.com

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Abaixo-assinado reivindica que STJ e STF anulem prisão de Lula

O comitê Lula Livre lançou nesta segunda-feira (2) um abaixo-assinado que pede diretamente ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que a legalidade seja retomada e que Lula seja libertado. O ex-presidente encontra-se detido há quase três meses, na sede da Polícia Federal de Curitiba. 
Líder em todas as pesquisas, Lula pode e será candidato registrado no dia 15 de agosto, independentemente de manobras jurídicas que tentam inviabilizar sua candidatura.
 (Crédito: Jorge William/Agência O Globo)
(Crédito: Jorge William/Agência O Globo)

Confira o texto divulgado junto com o abaixo-assinado:
Diante da série de arbitrariedades, injustiças e inconstitucionalidades promovidas contra o ex-presidente Lula desde o início do "caso tríplex", o comitê Lula Livre lançou, nesta segunda-feira (2), um abaixo-assinado que pede diretamente ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça que a legalidade seja retomada e Lula libertado.
Já são flagrantes para a sociedade as ilegalidades cometidas contra ele desde a denúncia vazia pela turma da Operação Lava Jato, sem provas, até a condenação pelo juiz Sérgio Moro, que já assumiu não haver ligação entre o tal imóvel do Guarujá e supostos desvios na Petrobras, o que por si só já anularia o processo.
Líder em todas as pesquisas, Lula pode e será candidato registrado no dia 15 de agosto, independentemente de manobras jurídicas que tentam inviabilizar sua candidatura.
Preso político desde o dia 7 de abril, os atropelos à lei não cessaram mesmo depois de seu encarceramento ilegal. "O cárcere açodado do ex-presidente Lula fere de morte a Constituição brasileira que prevê ser qualquer pessoa considerada inocente até transitada em julgada a sentença condenatória. [...] A se manter esse estado de coisas a Justiça brasileira ficará irremediavelmente exposta como jurisdição política, carente de seriedade e entrará na história como protagonista de um dos mais vergonhosos episódios da sua vida pública

Nenhum comentário:

Postar um comentário