Ouca Radio Ativa FM

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO

O PORTAL DAS NOTÍCIAS DE BARRA D'ALCÂNTARA E REGIÃO
E-MAIL 2: nicolas99878303@gmail.com

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Homem é executado com dois tiros na porta de casa em Teresina

Homem foi morto na porta de casa, na Zona Norte de Teresina.  (Foto: Andrê Nascimento/G1)Um homem identificado como José Carlos, 34 anos, conhecido como Tuíba, foi morto com dois tiros na porta de casa por volta das 7h desta segunda-feira (20). Segundo a Polícia Civil, ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas e as características do crime são de execução.
O delegado Hildson Ferreira disse que no momento do crime estavam na casa, além da vítima, um irmão dele, duas tias, uma criança e a cunhada de José Carlos.
“Nos informaram que parou um carro na porta de casa, uma mulher desceu e bateu na porta, chamando a vítima pelo apelido. Quando ele saiu, uma pessoa de dentro do carro baixou o vidro de trás e disparou contra ele, atingindo um tiro na cabeça, outro no tronco e um terceiro acertou a parede da casa”, relatou o delegado.
O crime aconteceu na rua Alagoas, bairro Marquês. No local foram localizadas cápsulas de munição que a polícia acredita serem de uma pistola ponto 40.
O delegado informou que já há suspeitos do crime e que o caso continuará sendo investigado.

Grupo armado invade escola em Teresina e diretora reconhece aluno entre suspeitos

Escola foi invadida e diretora reconheceu aluno entre os suspeitos.  (Foto: Andrê Nascimento/G1)Cinco homens armados invadiram e realizaram um assalto na manhã desta segunda-feira (20) no Centro de Ensino de Tempo Integral Portal da Esperança, no bairro Aroeiras, Zona Norte de Teresina. Um dos suspeitos, preso pela polícia, foi reconhecido pela diretora da escola como aluno da unidade.
Segundo a polícia, os homens portavam facas e revólveres e tinham o rosto coberto. Eles entraram na escola por volta das 7h e dois vigias reagiram.
“Os vigias foram feridos com golpes de faca porque entraram em luta corporal com dois bandidos. Um suspeito foi ferido e preso e a diretora disse que ele é aluno no turno da noite”, informou o capitão Carlos, subcomandante da Companhia Independente de Policiamento Escolar (CIPE) da Polícia Militar.
Rodrigo Oliveira, professor de história da escola, contou que foram momentos de pânico. Uma professora abriu o portão e foi surpreendida pelos cinco homens. Acontecia no momento a acolhida dos alunos, quando há mensagens e execução do hino nacional. Segundo o professor, os bandidos já entraram anunciando o assalto, foram ao local onde os alunos estavam e houve um pânico generalizado.Alunos e funcionários correram para todo lado e os assaltantes se dispersaram. Eles tentaram roubar os alunos, alguns jogaram os aparelhos no chão para entregar logo. Eles ainda atiraram na direção de um funcionário, que por sorte não foi baleado, foi quando um dos vigilantes avançou com um facão para cima de um deles".

Exame pericial comprova estupro de menino de seis anos por jovem de 22 anos

Exame de corpo de delito foi realizado no Hospital Regional Justino Luz, em Picos (Foto: Divulgação/Ascom)Um exame de corpo de delito realizado pelo Samvis no Hospital Regional Justino Luz, na cidade de Picos, comprovou o crime de estupro contra um menino de seis anos, ocorrido na cidade de Aroazes, a 227 km de Teresina. O suspeito, identificado como Irlan de Sousa Rocha, de 22 anos, foi preso em flagrante.
Segundo o delegado Maycon Braga, da delegacia de Valença, o rapaz está preso na carceragem da delegacia. O suspeito foi autuado em flagrante delito pelo crime de estupro de vulnerável. Ele deve ser encaminhado para a Penitenciária José de Deus Barros, na cidade de Picos.
De acordo com a Polícia Militar, a criança estava com a mãe em uma festa que acontecia na cidade Aroazes. Por volta das 4h30min a mãe sentiu falta do menino e começou a procura-lo.
O suspeito foi localizado por volta das 6h da manhã. Ele estava com a criança em um matagal, em um local distante de onde acontecia a festa. O rapaz foi preso pela Polícia Militar e levado para a Delegacia de Valença.
De acordo com o delegado Maycon, apesar do resultado positivo do exame de corpo de delito, o suspeito nega o crime. “Mas contra fatos não há argumentos. São muitos os indícios de que ele praticou o crime”, disse.

Jovem que confundiu veneno com bebida alcoólica deixa a UTI em Teresina

O jovem de 18 anos Davi Ferreira Lima surpreendeu a equipe médica do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) com sua recuperação. Ele deixou a UTI nesse domingo (19) após passar 10 dias internado por ter ingerido veneno para formiga. Ele, seu pai e seu tio confundiram a substância com bebida alcoólica e os dois morreram ainda no local.Homens confundiram garrafa de bebida com garrafa de veneno na zona rural de Teresina. (Foto: Divulgação/ TV Clube)
Segundo a assessoria de comunicação do hospital, o rapaz está consciente e orientado e continua internado na clínica médica, sem previsão de alta. Ele está caminhando e se alimentando bem.A recuperação surpreendeu a todos, já que o estado de saúde do rapaz era considerado gravíssimo. O pai e o tio de Davi morreram ainda no local, devido à grande quantidade de veneno ingerido.
Segundo o delegado Tales Gomes, titular do 22º distrito policial, os três estivam consumindo bebida alcoólica no quintal de casa, no povoado São Vicente. Em algum momento, os homens confundiram a garrafa de veneno com a de bebida e ingeriram a substância.
O tio e o pai de Davi não resistiram. Davi foi socorrido e passou por lavagem estomacal e administração de carvão ativado, para tentar conter os efeitos do veneno.

São Paulo vence a Chape e termina 1º turno do Brasileiro como líder

0Com a vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense, neste domingo (19), no Morumbi, o São Paulo conseguiu garantir a liderança do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

A última vez que o clube terminou a primeira metade da competição na liderança foi em 2007, quando ficou com o título, o segundo de um tricampeonato em sequência sob o comando de Muricy Ramalho.

A vitória do Internacional sobre o Paraná, na manhã deste domingo, havia colocado o clube gaúcho temporariamente na primeira colocação. O Inter, apesar dos mesmos 38 pontos que o São Paulo tinha antes de entrar em campo, era dono de melhor saldo de gols: 15 contra 14.

Porém, bastaram apenas dois minutos de jogo no Morumbi para que o time de Diego Aguirre recuperasse a liderança.

Após boa tabela pela esquerda entre Edimar e Everton, o lateral foi à linha de fundo e cruzou forte, rasteiro, para o meio da área. Shaylon entrou bem entre os zagueiros e completou para o gol.

O São Paulo entrou com algumas mudanças para o duelo diante da Chape e, com isso, teve certa dificuldade para criar boas oportunidades. Anderson Martins, Nenê, Rojas e Hudson, titulares da equipe, começaram o jogo no banco. Com as mexidas, o técnico aproveitou para promover a estreia do meia Everton Felipe.

No fim da partida, após outra boa trama de passes são-paulina, Rojas cruzou da direita para Hudson, que entrou em velocidade na área e bateu firme para marcar o segundo e fechar a vitória tricolor.

A assistência do equatoriano foi sua quarta desde que chegou ao Morumbi, durante a última Copa do Mundo. Rojas também tem um gol pelo São Paulo. Foi dele o primeiro na vitória por 2 a 1 sobre o Vasco, na 17ª rodada.

Estádio: Morumbi, em São Paulo

Público/renda: 41.075 pagantes / R$ 1.348.906,00

Juiz: Rafael Traci (PR)

Cartões amarelos: Bruno Alves e Hudson (S); Welington Paulista (C)

Gols: Shaylon, aos 2min do 1º tempo, e Hudson, aos 37min do 2º tempo

SÃO PAULO

Sidão; Bruno Peres, Bruno Alves, Arboleda e Edimar; Jucilei e Liziero (Hudson); Everton Felipe (Rojas), Shaylon (Nenê) e Everton; Diego Souza. T.: Diego Aguirre

CHAPECOENSE

Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Alan Ruschel; Márcio Araújo, Amaral (Osman), Canteros e Diego Torres (Yann Rolim); Bruno Silva (Leandro Pereira) e Wellinton Paulista. T.: Guto Ferreira. 
Fonte: Folhapress 
Keywords: sao paulobrunovitóriadiegomorumbihudson

Duas crianças morrem eletrocutadas em cerca elétrica clandestina

Na tarde de domingo, três criançasidentificados como Felipe, de 13 anos, “Titico”, de 14 anos e seu irmão, Luís Gabriel, de 10 anos, moradores da Rua das Senhoras, bairro Nova Conceição, na cidade de Araioses, andaram cerca de 850 metros, de suas casas em direção a um viveiro de peixes na entrada da cidade para coletar algumas castanhas de caju. Após pegarem os frutos, eles voltaram às suas casas para deixar as castanhas e voltaram ao viveiro novamente, para, dessa vez, cortar talos de palmeiras para fazer gaiolas de passarinhos.
Sem sucesso e sujos pelo lamaçal do local, os garotos voltaram, e no caminho, pararam em uma pequena ponte para lavar os pés. Ao lado da ponte, havia uma cerca de arame farpado na qual os meninos seguraram para se equilibrar. De acordo com informações, eles não sabiam que aquele arame estava ligado, de forma clandestina, à rede elétrica do terreno.
Luís Gabriel, o único sobrevivente, contou que a princípio, quando eles se seguraram nos arames, eles não estavam ligados. Ainda segundo o garoto, o dono da propriedade os viu e logo depois ligou a cerca à corrente elétrica. Gabriel, vendo o seu amigo e o seu irmão sendo eletrocutados, correu em direção ao dono do viveiro, identificado como Antônio Benício, pedindo que ele desligasse a cerca, mas as duas crianças vieram óbito no local.
Antônio não prestou socorro às vítimas. Segundo a Polícia Militar de Araioses, o suspeito fugiu do local e ainda não havia sido encontrado.
Uma equipe da Companhia Energética do Maranhão – CEMAR foi ao local. Um dos funcionários esclareceu que o que é feito com a eletricidade fornecida pela empresa dentro da propriedade é de total e exclusiva responsabilidade do cliente.

Mãe de grávida morta por patrões diz que filha foi estuprada

A auxiliar de serviços gerais Selmair Arruda de Moraes, de 44 anos, mãe da técnica em segurança Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, afirma que a filha, antes de ser morta, foi estuprada e mantida em cárcere privado na casa dos patrões, um casal, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Os dois foram presos pela polícia suspeitos de matarem a garota para ficar com o seguro de vida dela.
A polícia acreditava que Atyla, a princípio, havia sido vítima de afogamento em junho, em uma praia de Mongaguá, cidade vizinha. Os investigadores da Polícia Civil, entretanto, descobriram que a jovem foi morta propositalmente para que o casal pudesse receber R$ 260 mil de indenização de um seguro de vida feito em nome dela, que estava grávida.
Para a polícia, o patrão é o pai da criança e o próprio assassino: um homem de 47 anos, que teria cometido o crime com o consentimento da esposa, de 41. De acordo com os investigadores, ambos, na verdade, exploravam a garota, mas se apresentaram aos policiais como padrinhos dela, reafirmaram o acidente no mar e alegaram cuidar de Atyla desde janeiro.
 Atyla estava grávida de três meses quando foi achada morta em praia de Mongaguá (SP)  (Crédito: Arquivo Pessoal)
Atyla estava grávida de três meses quando foi achada morta em praia de Mongaguá (SP) (Crédito: Arquivo Pessoal)

Selmair contou que a filha saiu de casa, em Aparecida de Goiânia (GO), em busca de uma oportunidade de emprego. Por intermédio de uma amiga, a técnica soube de uma vaga de trabalho em uma transportadora, no litoral paulista, oferecida pelo casal. Os dois também possibilitariam um lugar para que ela pudesse morar.
A mãe explica que não queria que a Atyla fosse para Itanhaém, mas a filha insistiu em querer trabalhar para poder ajudar a família. "Ela ficou muito depressiva e triste depois que a gente perdeu tudo, financeiramente falando. Ela falava: ‘mamãe, eu vou, sim, porque quero ajudar a senhora'", lembra a auxiliar de serviços gerais.
A mudança ocorreu no início de janeiro e as duas mantiveram contato ao longo dos meses por meio de telefone e redes sociais. Algumas ligações chamaram a atenção de Selmair pelo fato dela ouvir ao fundo, enquanto conversava com a filha, alguém induzido a jovem a falar "algo genérico". "Não era minha filha ali. Ela estava sendo controlada", diz.
A preocupação maior ocorreu quando as duas perderam contato em 2 de julho, um dia antes do suposto acidente na praia. Selmair não conseguiu mais falar com a filha por semanas, apesar da insistência, e pediu dinheiro emprestado para familiares para viajar e tentar localizá-la pessoalmente, em Itanhaém, onde chegou somente em 24 de julho.
"Fui à delegacia, dei o nome do casal e puxaram vários papéis. Quando falei da minha filha, surgiu uma foto na tela do delegado. Quinze minutos depois, disseram-me que ela estava morta", conta. No boletim de ocorrência, o casal de patrões se intitulava padrinhos da jovem, mas a mãe disse que não os conhecia.
A diferença nas informações motivou os policiais a esclarecerem o que, de fato, havia acontecido. “A polícia achou, na casa deles, pelo menos três documentos em nome da mulher atestando o recebimento de apólices de seguro em nome de terceiros, além da que tinha em nome da minha filha, avaliada em R$ 260 mil”, conta.
Para os investigadores, o crime foi esclarecido ali. A jovem, que sonhava em ser advogada, foi morta para que ambos pudessem ganhar a indenização. Foi a própria mulher, a suposta madrinha, que fez o seguro, pago somente em caso de acidentes, e esperou o fim do tempo de carência para cometer o crime.
A polícia suspeita que tenha sido o patrão da jovem que a afogou na praia em meio a um nevoeiro. Os investigadores acreditam, ainda, que ele seja o pai do bebê que a Atyla esperava, na ocasião do afogamento. O laudo no Instituto Médico Legal (IML) atestou que ela foi morta no terceiro mês de gestação.
"Tudo indica que a minha filha era violentada sexualmente por ele. Ela era mantida em cárcere privado. Foi comprovado que nenhum vizinho próximo a via na rua. A gravidez é certeza, sim, e vão fazer exame de DNA [material genético] para ver se era mesmo dele, mas a polícia me disse que ele mesmo já se entregou", explica. As informações foram confirmadas pelas autoridades.
 Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, morreu afogada em praia de Mongaguá (SP)  (Crédito: Arquivo Pessoal)
Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, morreu afogada em praia de Mongaguá (SP) (Crédito: Arquivo Pessoal)
As provas colhidas pela polícia sustentaram um pedido de prisão temporária, válida por 30 dias, à Justiça. A solicitação foi acatada e a ordem cumprida na sexta-feira (17). O casal foi encaminhado à Delegacia Sede de Mongaguá, onde foi ouvido e levado à Cadeia Pública. Os nomes deles não foram divulgados.
“A Atyla era minha amiga, companheira. Sempre estudou, sonhou. Nunca deu trabalho. Que isso sirva de alerta aos pais para zelarem pelos filhos. O mundo está aí oferecendo tudo aquilo que não podemos dar. Prometeram uma vida melhor para minha filha e não cumpriram. Jamais a terei de volta", desabafou a mãe.
A Polícia Civil informou que manteve o nome do casal em sigilo para não atrapalhar as investigações, que agora concentram-se em outras possíveis vítimas dos dois. Na casa deles, foram encontrados documentos de outras apólices de seguro que davam direito de receber indenizações de terceiros, não parentes.

TRE faz audiência para definir tempo de candidatos na TV e rádio

A partir das 10h desta terça-feira (23), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) realiza audiência pública para receber sugestões de representantes dos partidos políticos e coligações, bem como das emissoras de rádio e televisão, em relação à minuta de resolução do plano de mídia das eleições presidenciais.
Na ocasião também será feito sorteio para a escolha da ordem de veiculação da propaganda em rede de cada partido político ou coligação para o primeiro dia do horário eleitoral gratuito.
Na audiência será estabelecido o horário que as coligações partidárias e partidos terão para a propaganda eleitoral no rádio e TV dos candidatos a governador, senador, deputados federais e deputados estaduais.
A resolução tratará especificamente do plano de mídia, uma vez que as regras do horário eleitoral gratuito já foram aprovadas pelo TSE por meio da Resolução TSE 23.551/2017.
Na audiência, o tema será abordado por, no máximo, duas horas. Cada participante poderá se manifestar pelo prazo máximo de cinco minutos. As manifestações serão precedidas de identificação pessoal.
Também será possível participar enviando sugestões por escrito. Para tanto, é necessário protocolar o documento no TSE até o dia do evento ou até 24 horas após sua realização.
A audiência pública ocorrerá no Auditório I do edifício-sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Piauí.

Enfermeira não sai de casa após ser agredida em hospital:'Horrível'

enfermeira que não quis se identificar e que foi agredida durante uma confusão no Pronto Socorro da zona Noroeste, em Santos, no litoral de São Paulo, disse que está desenvolvendo um quadro de depressão após o fato. Ela relatou que espera que as pessoas responsáveis pela agressão sejam presas.
A mulher e outra técnica do pronto-socorro foram agredidas por duas filhas de um paciente internado no hospital no último dia 10 de agosto. Já na última terça-feira (24), a Prefeitura de Santos divulgou imagens de câmeras de segurança que mostram parte da confusão.
A enfermeira relatou que está abalada. “Chutaram meu peito e fizeram barbaridades comigo. Fiquei quase nua, o vídeo só mostra uma parte. Alegaram que não filmaram o restante das agressões, queria que me dessem o resto do vídeo”, disse.
 (Crédito: Divulgação/Prefeitura de Santo)
(Crédito: Divulgação/Prefeitura de Santos)
Em choque por conta da repercussão do caso, a enfermeira diz que está ‘presa’ em casa e que, em todos os anos de profissão, nunca tinha passado por algo do tipo. “Já exerci chefia durante anos e zelava pelos funcionários e pacientes. Sem a enfermagem, a saúde padece, deixa de existir”, desabafa.
Tanto ela quanto a técnica de gesso, após as agressões, foram à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), onde foi registrado um boletim de ocorrência. As agressoras também estiveram na unidade e, segundo ela, também demonstraram comportamento agressivo, sendo que com elas, nada aconteceu.
“Primeiro que os policiais não se preocuparam de as levarem na viatura, mas queriam que eu entrasse. Não as prenderam em flagrante e, lá na delegacia, além de uma delas bater e quase jogar um PM no chão, acabei sendo exposta. Todos riam como se fossem grandes amigos. Virei chacota”, desabafa.
A profissional ainda não sabe quando voltará a trabalhar. “Mal saio da cama. Conversei com meu advogado por telefone e, no momento, só psicoterapia e o apoio dele podem me ajudar. Eu estou muito mal”, finaliza.
 (Crédito: G1 Santos)
(Crédito: G1 Santos)

Empresário encontrado espancado em Brasília recupera consciência

empresário Jelder Eric Lourenço, de 25 anos, que tinha sido encontrado desacordado e com sinais de espancamento em Brasília, foi retirado da sedação e já está acordado. Segundo a família, ele mexe a cabeça, os olhos, identifica as pessoas e mostra ter recuperado a memória.
De acordo com os parentes, ainda é cedo para saber se existe alguma sequela no cérebro. “Já descartaram a possibilidade de hemodiálise, que poderia ser feita para não sobrecarregar os rins com remédios”, afirmaram. Jelder terá de passar por cirurgia na região da mandíbula, mas ainda não foi confirmado quantas serão necessárias. “Os médicos estão impressionados com o desenrolar do quadro dele.”
 (Crédito: Arquivo Pessoal)
(Crédito: Arquivo Pessoal)
Espancamento
Jelder foi achado no dia 6 de agosto por dois funcionários da Associação dos Servidores do Senado Federal (Assefe) próximo ao Lago Paranoá, com múltiplos golpes na cabeça. Ele deu entrada no hospital com estado grave e instável.
A Polícia Civil disse que investiga o caso, mas que não passaria detalhes sobre a investigação.
Amigos da vítima contaram que Jelder mora sozinho em um apartamento na Asa Norte. Ele teria telefonado para a família, em São Paulo, na noite de sábado (4), mas, desde então, não manteve mais contato.
Na segunda (6), um colega de trabalho foi até a casa do empresário e constatou que a porta estava destrancada e Jelder não estava. Os documentos do jovem permaneciam no local.
 (Crédito: Tony Winston/GDF/Divulgação)
(Crédito: Tony Winston/GDF/Divulgação)